Oficina de Oração

Inicia-se no dia 06 de Março na Matriz do Rosário, a oficina de Oração e vida, às 19:30h(toda segunda-feira)

A importância da Oficina de Oração.

 

Para que serve a Oficina de Oração ?

Quando começamos a fazer parte da nossa Oficina de Oração, sempre ouvíamos algumas perguntas do tipo: "Para que isso? Grupo de Oração serve para quê?"
Tendo em base essas perguntas, os itens abaixo abordam a necessidade que temos hoje, quanto os instrumentos vivos que Deus utiliza.

1. Motivam-se a seguirem na prática do evangelho com o mesmo objetivo de seguir sinceramente a Deus.

2. Crescer com experiências pessoais (ação de Deus perceptível na vida da pessoa) que são vividas no grupo e fora dele.

3. Fazemos amigos que querem buscar a Deus para que preencham a sede de amizade que temos.

4. Fortalecer e fazer amizades, mesmo que a pessoa não veja necessidade, o homem sempre precisa porque é um ser social e precisa sair de grupinhos fechados de amizade que nem sempre nos garantem algo bom.

E por fim.


5. Dar a vida pelo próximo, mesmo aos mais solitários que precisam de amigos, seja no grupo ou serviço, aos mais mal humorados, aos que tem pouca vida: "Dar a vida pelos irmãos, assim como Jesus".


"Sede um só corpo e um só espírito" que vai além de qualquer estrutura humana, faz com que caminhemos unidos ao passo que o Senhor chama a todos à santidade: 
"sedes santos".

 

O Apostolado da Oração (sigla AO) é uma organização composta por leigos católicos cuja finalidade é a santificação pessoal e a evangelização. Sua seção jovem é o Movimento Eucarístico Jovem, antiga Cruzada Eucarística.

Seus Estatutos assim o definem: "O Apostolado da Oração constitui a união dos fiéis que, por meio do oferecimento cotidiano de si mesmos, se juntam ao Sacrifício Eucarístico, no qual se exerce continuamente a obra de nossa redenção, e desta forma, pela união vital com Cristo, da qual depende a fecundidade apostólica, colaboram na salvação do mundo.”

Nasceu num colégio da Companhia de Jesus (de padres Jesuítas) na França e espalhou-se pelo mundo. Trabalha com afinco pela evangelização das famílias, tem uma devoção especial ao Sagrado Coração de Jesus e todos os seus membros rezam diariamente pelas intenções do Santo Padre.

Atualmente, reúne cerca de 40 milhões de membros em todo o mundo.


Origem e desenvolvimento

O Apostolado da Oração teve origem num colégio da Companhia de Jesus (de padres jesuítas), em Vals, perto de Le Puy-en-Velay, na França), no dia 03 de dezembro de 1844, Festa de São Francisco Xavier.

Naquela ocasião, o Padre Espiritual do Colégio – Padre Francisco Xavier Gautrelet (1807 - 1886 – fez uma conferência aos estudantes, em que explicou como podiam eficazmente satisfazer o desejo de colaborar com os que trabalhavam nos vários campos de apostolado para a salvação dos homens. Podiam fazê-lo, sem interromper o seu trabalho principal, que era o estudo, oferecendo com fim apostólico as suas orações, os seus sacrifícios e trabalhos, por meio de uma pequena organização, a qual seria denominada de "Apostolado da Oração".

As idéias propostas pelo Padre Gautrelet, que constituem o fundamento do Apostolado da Oração, foram recebidas com entusiasmo pelos estudantes e divulgadas primeiro nas terras vizinhas do colégio e depois em toda a França.

O Apostolado da Oração teve aprovação do Bispo de Le Puy em 1846, e, em 1849, alcançou a aprovação e as primeiras indulgências do Papa Pio IX, sendo estendido a toda a Igreja.

A estrutura organizacional e promoção inicial foram obra do Padre Henrique Ramiére, SJ. Em numerosos artigos e escritos, explicou amplamente, e de maneira acessível, a doutrina do AO, dando-lhe uma forma definitiva. Em 1861, publicou o livro intitulado "O Apostolado da Oração, Santa Liga de corações cristãos unidos ao Coração de Jesus", lançando definitivamente a base teológica para o movimento.

 

Até o ano 2000, havia 50 diferentes edições do Mensageiro do Coração de Jesus e 40 outros periódicos. Hoje, no Brasil, juntamente com as publicações oficiais do AO, é publicado por
O Apostolado da Oração chegou a Portugal em 1864, trazido pelo italiano Padre António Marcocci. O grande impulsionador foi o seu colega Padre Luís Prosperi, primeiro Diretor Nacional. Em 1887, já havia em Portugal 1.074 Centros e cerca de 850.000 associados e zeladores.


O primeiro núcleo do Apostolado de Oração no Brasil foi fundado pelo Padre Bento Schembi no dia 30 de junho de 1867, no Recife(PE), na Igreja de Santa Cruz, ficando restrito à localidade, não contribuindo para a difusão do movimento no país.

O padre Bartolomeu Taddei fundou em Itu (SP) um núcleo do Apostolado de Oração em 1º de outubro de 1871, fundando outros centros em nível diocesano e nacional. Por este motivo, o Padre Taddei é considerado o fundador e propagador do movimento no Brasil. Foi nomeado como primeiro Diretor Nacional por ter levado o Apostolado a todos os Estados.

Padre Taddei foi também o responsável pela fundação do Santuário Central do Coração de Jesus, em Itú. Em 03 de junho de 1913, data do falecimento do mesmo padre, haviam, no Brasil, 1.390 centros do Apostolado de Oração espalhados por todos os estados, com cerca de 3 milhões de associados.


Os membros do Apostolado da Oração, seguindo um programa rigoroso e profundo de vida espiritual, estão capacitados para cooperar ativamente na espiritualidade da Paróquia, num trabalho de conjunto com outras Pastorais e Movimentos, promovendo: Horas Santas(incentivo principalmente ás visitas ao Santíssimo Sacramento); Participação ativa na Missa; Consagração das Famílias ao Sagrado Coração de Jesus, anualmente; Entronização da Imagem ou quadro do Sagrado Coração de Jesus nos lares; Novenas; terços em família; vias-sacras e todas as iniciativas que ajudem a Comunidade a orar.


Principalmente pela atuação com as famílias, a exemplo das Comunidades Eclesiais de Base, agregando as famílias dos Zeladores, Associados zelados e suas vizinhanças, procurando atingir as famílias da comunidade de forma inclusiva, por meio de práticas como as Novenas do Natal em Família, Encontros da Campanha da Fraternidade na Quaresma, Semana Nacional da Família, Festas do Padroeiro.


O membro do Apostolado da Oração deverá, no seu ambiente, promover os valores cristãos, pelo testemunho de vida e pela palavra.


O membro do Apostolado da Oração é estimulado a praticar as chamadas obras de misericórdia, tais como: dar alimento aos necessitados, visitar pessoas enfermas, idosas e encarceradas, levando conforto, oração, esperança e auxilio material quando necessário, caminhando muitas vezes em parceria com os Vicentinos, Pastoral dos Pobres, Pastoral da Saúde, Pastoral dos Enfermos, Pastoral da Pessoa Idosa, Pastoral Carcerária e Pastoral da Esperança. Os membros do AO são encorajados a serem também membros ativos destas pastorais.


Principalmente pela oração pelas pelas vocações sacerdotais, religiosas e leigas; e pelo auxílio material para o sustento dos Seminários.


Principalmente junto às famílias ou na Catequese propriamente dita. O Movimento Eucarístico Jovem (MEJ), seção jovem do AO, representa um campo de catequese infantil e juvenil para atuação dos membros.


Além do pagamento do Dízimo, os membros do Apostolado da Oração deverão colaborar nos trabalhos e promoções materiais e sociais da Paróquia.



O Oferecimento Diário é uma oração feita diariamente, preferencialmente pela manhã, por meio da qual os membros oferecem a Deus suas orações, trabalhos, sofrimentos e alegrias, pedindo as bênçãos para cada momento vivenciado durante o dia.

Há duas formulas oficiais para esta oração. A mais usada é a que consta na carta do coordenador mundial do AO, Padre Peter-Hans Kolvenbach, SJ, de 8 de junho de 2003, direcionada aos Secretários Nacionais do AO: “Deus, nosso Pai, eu te ofereço todo o dia de hoje: minhas orações e obras, meus pensamentos e palavras, minhas alegrias e sofrimentos, em reparação de nossas ofensas, em união com o Coração de teu Filho Jesus, que continua a oferecer-se a Ti, na Eucaristia, pela salvação do mundo. Que o Espírito Santo, que guiou a Jesus, seja meu guia e meu amparo neste dia, para que eu possa ser testemunha do teu amor. Com Maria, Mãe de Jesus e da Igreja, rezo especialmente pelas intenções do Santo Padre para este mês:...”


Os membros são estimulados a participarem de todas as ações ligadas à Liturgia, com participação ativa na Missa, onde é celebrada a Eucaristia. São também encorajados a participarem dos demais Sacramentos.

A principal celebração do mês é a Missa da Primeira Sexta-Feira, onde os membros praticam a devoção da Comunhão Reparadora, pela qual pedem perdão a Deus pelos pecados cometidos pela humanidade.


Os membros praticam e difundem especialmente as devoções ao Espírito Santo, ao Sagrado Coração de Jesus (por meio da Festa do Sagrado Coração de Jesus, Primeiras Sextas-Feiras do mês, Horas Santas, Entronização do Sagrado Coração de Jesus nos lares e a Consagração das famílias ao Sagrado Coração de Jesus), a Maria, aos Santos Padroeiros (São Francisco Xavier e Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face) e aos chamados Santos Promotores do culto ao Sagrado Coração de Jesus, com destaque para Santa Margarida Maria Alacoque e a São Cláudio de La Colombiére.


O Apostolado da Oração reza, a cada mês, pelas Intenções que o Papa escolhe e propõe. Os membros são encorajados e seguirem as orientações pastorais do Papa, do Bispo e dos Sacerdotes, devendo-lhes respeito e colaboração.


Estimula-se a prática da oração constante e regular.


Formação sólida de Zeladoras e Zeladores e de todos os membros de cada núcleo, visando a formação espiritual, bíblica, litúrgica, apostólica, doutrinária, por meio da Reunião Mensal, Hora Santa, novena do Sagrado Coração de Jesus, tríduos para as festas dos santos padroeiras, retiros espirituais, tarde de reflexão, palestras, círculos bíblicos, jornadas apostólicas, leituras de livros e revistas(principalmente a Revista Mensageiro do Coração de Jesus), encontros de formação e demais encontros promovidos pelas Paróquias e Dioceses.

Os membros, além da oração, têm o compromisso de colaborarem com boas obras.